MENU

Seminário aborda culpabilização, misoginia e outros temas, neste sábado (2)

A programação da atividade conta ainda com coquetel e apresentações culturais no teatro dos Bancários; creche poderá ser disponibilizada de acordo com a demanda

Publicado: 27 Novembro, 2023 - 15h29

Escrito por: Marina Maria | Editado por: Leandro Gomes

Sindicato dos Bancários de Brasília
notice

 

 A culpabilização e o desrespeito às mulheres, mesmo quando elas são as vítimas, infelizmente persiste na sociedade brasileira. Antes da difusão do termo “feminicídio”, por exemplo, era muito comum que os assassinatos de mulheres fossem retratados como “crimes passionais”, um termo que subentende, entre outras coisas, uma suspensão da capacidade intelectual do assassino.

Isso foi um dos fatores responsáveis pela invisibilização dos reais números de crimes de ódio contra as mulheres, pela aplicação de penas brandas aos malfeitores e pelo assassinato simbólico de muitas que foram e ainda são retratadas com desrespeito e tornam-se alvos de calúnias por parte da imprensa.

Esse é o tema do livro: “Histórias de morte matada contadas feito morte morrida - a narrativa de feminicídios na imprensa brasileira”, das jornalistas Niara de Oliveira e Vanessa Rodrigues, que será debatido com a presença das autoras no seminário: “Viva sem violência”, no próximo sábado (2). A atividade acontecerá no Sindicato dos Bancários de Brasília, das 9h às 20h. Além da discussão sobre o livro, o seminário contará ainda com blocos de debates sobre misoginia, assédio moral e sexual, entre outros temas.

“O Sindicato tem uma série de ações que buscam atender não só as bancárias, mas toda a comunidade, como é o caso do canal Viva Sem Violência que presta apoio e orienta mulheres de todo o DF. Essa atividade é mais uma iniciativa muito importante da entidade e a CUT participa e convoca todas as entidades filiadas para estarem presentes”, explicou a secretária da Mulher Trabalhadora da CUT-DF, Thaísa Magalhães.

Para a secretária de Mulheres do Sindicato dos Bancários, Zezé Furtado, será fundamental a participação de todas e todos no evento, que é parte da campanha 21 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres.

“Será uma atividade formativa, porém realizada com leveza, permeada por atividades culturais, e vai tratar de violências muitas vezes escondidas ou naturalizadas. Por exemplo, a primeira parte do evento, que debate o livro, terá como destaque essas narrativas de violência doméstica e feminicídio na imprensa. Muitas vezes, as pessoas sequer percebem que há essa retórica violenta contra as mulheres nesses relatos porque é visto como algo natural”, explica Zezé.

A sindicalista destacou ainda temas como a misoginia, a ratificação da Convenção 190 da OIT e a saúde mental das trabalhadoras. De acordo com ela, as bancárias são uma categoria muito adoecida pelos assédios sofridos no ambiente do trabalho.

Exposições de livros, artesanato, coquetel e um show de encerramento, com a sambista Dih Ribeiro, também estão previstos na programação do seminário. É importante que as pessoas interessadas façam a inscrição pelo link e informem se vão precisar do serviço de creche para crianças a partir dos dois anos de idade. O espaço está sujeito à lotação. 

 

Programação

Abertura – café da manhã no foyer do Teatro
9h – 10h – Palavras que dançam, com Ju Valetim e Di Feijó

Painel 1

10h – História de morte matada contada feito morte morrida
Niara de Oliveira e Vanessa Gonçalves
Mediação: Jacira Silva 

Painel 2

14h – Os desafios de ser mulher – trabalho invisibilizado e misoginia
Mariana Mazzini Marcondes e Denise Motta Dau 
Mediação: Amanda Gomes Corsino 
Apresentação cultural no foyer – Clã das Águas

Painel 3
16h – Assédio e saúde das mulheres bancárias 
Kelly Quirino, Erika Kokay e Ana Magnólia
Mediação: Zezé Furtado 
Apresentação cultural com a Batucada Feminista (com lanche no foyer) 

Show 
18h – Dia do Samba com Dih Ribeiro – aberto ao público bancário e participantes do seminário

20h – Coquetel de encerramento 


Se você vai precisar de atendimento de creche (para crianças a partir de 2 anos), favor enviar email até o dia 29 para [email protected] informado a idade do(a) filho(a) e telefone para contato.