• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Em Brasília, o Grito dos Excluídos ecoa: Fora, Bolsonaro! 

Mobilização reuniu dezenas de sindicatos, movimentos sociais e demais organizações na Capital Federal

Publicado: 08 Setembro, 2021 - 10h50 | Última modificação: 08 Setembro, 2021 - 10h55

Escrito por: Marina Maria

Marina Maria
notice

“Estamos aqui para denunciar que o nosso povo não está participando do poder. Queremos participação popular, saúde, educação, segurança e fora Bolsonaro!”. Esta foi a fala que a secretária de Mobilização e Relação com Movimentos Sociais da CUT-DF, Leilane Costa Santos no carro de som do 27° Grito dos Excluídos, que aconteceu na manhã desta terça-feira (07), na Torre de TV. A sindicalista destacou a dificuldade de estar nas ruas e a resistência de cada uma e de cada um que esteve presente no ato. Leilane também saudou especialmente os professores e agradeceu a todas e todos que divulgaram e participaram da atividade. 

A mobilização reuniu militantes de diversas frentes, trabalhadores, servidores públicos, estudantes, dentre outros. Também houve arrecadação de alimentos que foram doados ao acampamento indígena e outras comunidades em situação de vulnerabilidade. 

“Hoje estamos aqui para arrancar esse grito que está na garganta da madrugada e para dizer que o fascismo que ostenta a faixa presidencial terá essa  faixa arrancada pelas mulheres, pela população LGBTQI+, pelos indígenas, pela classe trabalhadora”, afirmou a deputada Federal Érika Kokay (PT-DF) A despeito das ameaças anti-democráticas dos apoiadores do governo, que também foram às ruas pedir intervenção militar, fechamento do STF e (ironicamente) criminalização dos movimentos sociais, a população organizada realizou uma atividade consistentemente, amplamente representativa e com muitas pautas de luta, como a defesa do serviço público, dos povos indígenas, dos direitos da população e pelo impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido). 

“Quero fazer uma saudação especial ao povo negro, aos povos idígenas, às mulheres, à população LGBTQI+ que veio para as ruas nesse dia de hoje dizer: Ditadura, nunca mais! Do lado de cá estão aqueles que defendem a vida, a democracia, os direitos do povo brasileiro”, afirmou o deputado distrital Fábio Félix (PSOL). 

Os militantes utilizaram máscaras de proteção, álcool em gel e mantiveram-se no local da concentração até 12h. Com carros de som, cartazes, palavras de ordem, batucadas e performances, pediram pelo fim da política econômica do governo, que tem levado milhares de brasileiros à miséria, ao desemprego e à morte.