MENU

CUT-DF exige respeito às servidoras e aos servidores de Valparaíso

A categoria - que já sofre com a precarização - foi duramente atacada em um programa de rádio. O jornalista chegou a se referir aos servidores com palavras de baixo calão

Publicado: 14 Junho, 2022 - 10h12 | Última modificação: 14 Junho, 2022 - 10h57

Escrito por: Marina Maria

Na manhã desta segunda-feira (13), o jornalista Fred Linhares utilizou seu espaço no programa de rádio “Na polícia e nas ruas”, de grande audiência no entorno do DF, para atacar os servidores municipais do Valparaíso e incitar o ódio contra a categoria. O motivo para tamanhas investidas contra as trabalhadoras e trabalhadores, seria o registro de “excessivos” de atestados médicos apresentados.

Amparado por supostos dados da secretária municipal de Educação do município, Rudilene Nobre, o apresentador chegou a se referir às professoras e aos professores da cidade como "desgracentos", por precisarem de afastamento médico. Entretanto, Linhares não levou em consideração o cenário de precarização e de péssimas condições de trabalho imposto à categoria.

“Ninguém está de atestado médico porque quer, eles são por conta de doenças laborais. O servidor aqui está sobrecarregado, não tem concurso para monitoras e monitores, não tem concurso para merendeira, elas estão sobrecarregadas de trabalho assim como serventes, agentes e assistentes. É um absurdo essa atitude desse jornalista e da Secretária de Educação, que passa essas informações dizendo que o servidor entrega atestado médico em Valparaíso e não entrega no Distrito Federal por exemplo. A Secretária precisa provar de onde ela tirou esses dados. Esse ataque ao trabalhador nós não vamos aceitar calados”, afirmou o  presidente do Sindsepem/Val -sindicato que representa a categoria-, Marcilon Duarte.

De acordo com a entidade sindical, as escolas do município estão sucateadas e sem estrutura mínima para funcionamento, principalmente, durante a pandemia. Faltam itens básicos de higiene para os estudantes e Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para os servidores.

A CUT-DF se solidariza com as servidoras públicas e servidores públicos de Valparaíso de Goiás e exige respeito à categoria. A liberdade de imprensa deve, sim, ser exercida, mas com respeito e responsabilidade, o que não foi o caso das alegações feitas pelo jornalista Fred Linhares.

Em um contexto de constantes ataques aos servidores e aos serviços públicos, o comunicador presta um desserviço à comunidade e a toda classe trabalhadora, ao contestar o direito ao afastamento por doença, sobretudo em um momento em que, além do adoecimento por excesso de trabalho, a população do DF e do entorno padece novamente com o aumento dos casos de Covid.