• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Após pressão das trabalhadoras/es, BS Tecnologia e Serviços paga salários

O pagamento só foi realizado após trabalhadoras e trabalhadores realizarem paralisação das atividades

Publicado: 11 Maio, 2021 - 18h15 | Última modificação: 11 Maio, 2021 - 18h29

Escrito por: Leandro Gomes

SINTTEL-DF
notice

Foi necessária intensa mobilização das funcionárias e dos funcionários da BS Tecnologia e Serviços − empresa que presta serviços de telemarketing para a Caixa − e do Sinttel-DF − sindicato que representa o grupo − para que o pagamento de salários e benefícios fosse realizado. Os valores estavam em atraso desde a última sexta (7), quinto dia útil do mês.

Segundo o Sinttel, a BS afirmou que depositaria os valores até o final da segunda (10), o que não ocorreu. Para exigir o pagamento dos salários e benefícios, a categoria resolveu cruzar os braços na tarde da segunda e na manhã desta terça (11). O Sinttel esteve no local apoiando o grupo.

"A empresa tem de cumprir com suas responsabilidades, para não prejudicar ainda mais os empregados. O trabalhador tem obrigações, mas também tem direitos. Se ele trabalhou, tem o direito de receber. O trabalhador não pode esperar", afirmou o dirigente da entidade sindical Geraldo Coan.

Após a mobilização, os valores foram depositados e a categoria retornou aos postos de trabalho. "O pagamento só foi possível porque as trabalhadoras e os trabalhadores se mobilizaram e tiveram o apoio do Sindicato. O Sinttel seguirá em luta em defesa da categoria pela dignidade de cada trabalhadora e trabalhador", disse Coan. 

Fim do contrato e demissões

De acordo com o Sinttel, a BS Tecnologia e Serviços perdeu contrato da Caixa e transferiu os serviços prestados para o Ceará e para a Bahia, locais onde os salários e benefícios das funcionárias e dos funcionários são bem menores do que na capital federal.

Sem contrato da BS em Brasília, centenas de trabalhadoras e trabalhadores foram demitidos e estão cumprindo os últimos dias do aviso prévio. Porém, com o atraso no pagamento de benefícios, os custos de deslocamentos estavam sendo custeados pelas funcionárias e funcionários. Lucas Barros*, um dos trabalhadores que perdeu o emprego, destacou que, desde dezembro, a empresa tem sido negligente no que diz respeito ao pagamento.

"No início era até certinho, mas, desde dezembro que estão atrasando nosso pagamento. Esse mês, nem a passagem eles pagaram completa. Acredito que, como a empresa está saindo do DF, eles estão nem aí para nós", afirmou.

*Nome fictício para presevar identidade do trabalhador